Olá, dando continuidade á viagem, após dois dias em Bariloche fui em direção ao sul da Patagônia. Peguei o ônibus no terminal da cidade para o Ushuaia, capital da província Tierra Del Fuego, no extremo sul, conhecida também como a “cidade do fim do mundo”. Uma viagem extremamente longa que é composta de belas paisagens, principalmente até o vilarejo de Esquel, bem próximo a cordilheira. O trajeto até a pequena cidade recorta a cordilheira, onde se podemos avistar os principais rios e lagos da região e claro sua natureza imponente. Após a passagem por Esquel, o ônibus se distancia da cordilheira iniciando uma longa travessia pelo “deserto” da Patagônia. São retas de mais de 30 km em meio ao nada, com vegetação rasteira e algumas colinas. Passamos pelo que rege a economia do Sul, os campos de gás natural e as fazendas com criação de ovelhas e vacas. Não posso deixar de falar sobre os Guanacos (ilhamas) que são vistos bem ao sul, mais precisamente na província de Santa Cruz; os animais típicos da região dividem espaço com as ovelhas em algumas fazendas; entretanto andam sempre soltos, em grupos. Por estarem soltos alguns morrem atropelados ao atravessarem a estrada. Uma surpresa que pude constatar foi a imensa presença de europeus que viajam a Patagônia. São muitos deles jovens em busca de aventura e diversão; oriundos de varias partes da Europa, lotam os ônibus no período de verão, sendo que alguns deles ficam viajando durante meses por todo continente sul americano. Durante a viagem se faz algumas paradas, para pegar passageiros, comer e fazer a limpeza do veículo. Com relação a  alimentação, está incluso normalmente o jantar e o café da manhã. A cidade mais importante antes do Ushuaia é Rio Gallegos, que fica próximo á fronteira dupla, Argentina- Chile –Argentina, na província de Santa Cruz. A cidade é um local de passagem, que serva de dormitório para quem vai ou vem do Ushuaia. De Rio Gallegos ao Ushuaia são cerca de doze horas de viagem, isso se a dogana e a travessia com a balsa pelo estreito de Magalhães não atrasar.    

BALÇA DE TRAVESSIA ( ESTREITO DE MAGALHÃES

0 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *